Durante a Sessão de Ontem dia 30, centenas de pessoas compareceram à Câmara Municipal de Palmas-TO, e conseguiram juntamente com os vereadores da oposição colocar areia nos projetos enviado aquela casa pelo executivo municipal.

Sem acordo, os vereadores de oposição não colocaram os projetos de lei, de autoria do prefeito Carlos Amastha (PSB), para votar na Comissão de Finanças e logo não foi para votação no plenário.

Entre os projetos mais polêmicos estavam os que propunham alterações na legislação que causariam aumento de até 36,36% no Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), 42% na taxa de iluminação pública e 208% na taxa de coleta de lixo.

E com isso os aumentos só devem voltar a ser discutidos em 2017, e se forem aprovados só vão valer para 2018.

Para o relator da comissão, Milton Neris (PP), esse  não é momento para aumentar impostos. “Nós da comissão decidimos prolongar essa discussão. Decidimos que vamos levar para o ano que vem, ouvir mais a população, fazer mais audiências públicas”, afirmou.

Assista:

Comentários

comentários